COMO FUNCIONA O SEU HIDRÔMETRO

Hidrômetro

Conhecido também como relógio, o hidrômetro é o equipamento que faz a apuração do consumo de água. Nele, há um contador que registra a quantidade que passou pelo medidor. A conta é feita a partir do último número registrado em comparação aos valores do novo registro. A diferença entre os dois números aponta o volume de água consumido.

 

Hidrômetro

 

Como a água passa pelo hidrômetro?

A água vem desde a Estação de Tratamento pela rede de distribuição. Antes de chegar à torneira de um consumidor, ela passa pela tubulação, entra no cavalete onde está o hidrômetro, passa por dentro do medidor para, finalmente, estar disponível no encanamento do imóvel.

 

Por que é preciso trocar o hidrômetro?

Porque o hidrômetro é um aparelho instalado para registrar o consumo de água do imóvel e, dependendo do tempo de uso e das condições de conservação, ele se desgasta, havendo a necessidade de substituição por um novo equipamento.

 

Quando é necessária a troca do hidrômetro?

A troca de hidrômetro pode se dar pela periodicidade de manutenção, limite do volume registrado, ou defeito/falha no equipamento, detectados pelo técnico que realiza a leitura do hidrômetro quando faz a apuração mensal do consumo no imóvel do consumidor.

 

A troca do hidrômetro aumenta o consumo de água?

Não, o consumo está associado ao uso da água no imóvel e independente da troca do aparelho. Porém, com a troca, pode ocorrer aumento do valor da conta, pois o novo equipamento terá maior precisão na medição, detectando o consumo que antes não era completamente registrado.

 

Quando o ar entra no encanamento e faz o hidrômetro girar a conta de água não aumenta?

O ar que entra na tubulação faz o hidrômetro rodar para trás (quando entra na tubulação) e para frente (quando sai da tubulação), portanto, o giro para um lado compensa o giro para o outro. Diversos testes realizados por órgãos competentes demonstraram que a quantidade de ar que chega ao hidrômetro é tão pequena que não representa diferença na conta mensal. Em condições normais de abastecimento, a maioria absoluta das redes de distribuição e das ligações de água não está sujeita a entrada de ar nas tubulações.